Como cada país está agindo para manter os empregos na construção


| Postado por: WSI Events

Enquanto a pandemia avança em alguns locais e começa a ceder em outros, seus reflexos estão sendo sentidos ao redor do mundo, mas de forma diferente em cada país. Confira algumas estratégias que estão sendo adotadas para minimizar a crise na construção mundial.

Estados Unidos

A previsão é de que, caso as paralisações perdurem por mais oito semanas, haverá queda de 11% do PIB. Naquele país, 40% dos geradores do PIB estão parados.

Japão

Há negociações para aumentar prazos de carência para pagamento de impostos. Além disso, o país definiu um plano para implementação de financiamento a pequenas e médias empresas construtoras.

Taiwan e Israel

Há medida de precaução quanto a prazos de entrega das obras devido à redução do volume de suprimentos de materiais de construção. Os governos de ambos os países mantiveram a atividade produtiva, ainda que reduzida, para amenizar os impactos no PIB.

Noruega

O país registra atraso em insumos oriundos principalmente da Espanha e da China. Apesar disso, o setor continua em atividade.

Bélgica

Metade dos canteiros de obras continuam funcionando. Até setembro clientes e construtoras estão liberados do pagamento de financiamentos de imóveis. Impostos federais também serão postergados. Em paralelo, o governo vai injetar 50 bilhões de euros na economia, o equivalente a cerca de 5 mil euros por habitante. Além disso, há pressão do governo para que os bancos entrem também com uma contrapartida para que nem o Estado nem as pessoas quebrem.

Canadá

O governo tem concedido seis meses de carência para o pagamento de financiamentos.

 

Fonte: International Housing Association (IHA)

Tags:

  • Notícias Relacionadas


    Efeitos COVID-19


    | Postado por: WSI Events

    Tags:

  • Diferenciais competitivos durante a crise


    | Postado por: WSI Events

    Tags: